Mestrado

Engenharia de Madeiras

 

Edital 2015 -2016

Candidaturas 1ª fase – de 13 a 28 de julho

 

CódigoM458
DepartamentoEngenharia de Madeiras
GrauMestre
Duração2 anos
RegimeDiurno
Diretor de cursoJorge Manuel Santos Silva Martins
Secretariado do cursoSala Secretariado 4
Telefone +351 232 480 562
Email: demad@estgv.ipv.pt

Funcionamento

O plano curricular do curso prevê uma componente letiva de 14 unidades curriculares distribuídas por três semestres letivos e uma componente de Projeto que decorrerá em parte significativa do terceiro semestre prolongando-se pelo quarto semestre. De forma a tentar compatibilizar as necessidades de formação dos ativos (quadros superiores de indústrias dos diversos setores da fileira da madeira) com as atividades profissionais, não só a segunda componente (projeto), que consiste no desenvolvimento de um trabalho de I&DT ou de Projeto, será preferencialmente desenvolvida em colaboração com entidades empresariais de sectores da fileira da madeira e orientada para a resolução de problemas/desafios específicos e perfeitamente definidos, como a componente letiva decorrerá em regime diurno.

Apresentação do curso

O presente curso de Mestrado foi desenhado durante o processo de adequação da Licenciatura Bietápica em Engenharia de Madeira ao novo figurino legal (Protocolo de Bolonha). Durante esse processo o DEMad em parceria com a Associação Nacional de Engenheiros de Madeiras e a ANET, e cumprindo o fixado no decreto Lei 74-2006 (artigo 5º e 15º), estabeleceu um conjunto de competências genéricas e de atos de engenharia que definem com clareza as funções e tarefas a desempenhar quer pelo Licenciado em Engenharia de Madeiras quer pelo Mestre em Engenharia de Madeiras. O documento elaborado pretende vir a ser a base para a criação de um colégio “Engenharia de Madeiras” no âmbito da ANET.

Com a definição das novas regras que regem as formações de ensino superior – “Processo de Bolonha” – são estabelecidos os objetivos gerais para cada tipo de ciclo de estudos. Assim, no decreto-lei 74 de 2006 é estipulado que, no ensino politécnico, o ciclo de estudos conducente ao grau de mestre deve assegurar, predominantemente, a aquisição pelo estudante de uma especialização de natureza profissional.

Enquanto instituição única de ensino superior público com formações dedicadas às áreas industriais da transformação de madeira e da produção de mobiliário, e considerando a inquestionável importância económica (1) que estas duas áreas têm para o País e em particular para a região, a Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viseu, e em particular o seu Departamento de Engenharia de Madeiras (DEMad) da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu, considera que existe uma lacuna na atual oferta de formação superior nestas áreas, já que é elevado o número de quadros técnicos superiores nas empresas do setor, sem que se verifique a existência de qualquer tipo de oferta formativa, do tipo pós-graduada, que vise o desenvolvimento de competências específicas para as atividades que desempenham.

O DEMad considera, portanto, estarem reunidas as condições (em termos de recursos humanos, instalações e procura previsível) para se implementar um curso de segundo ciclo capaz de satisfazer os objetivos gerais para a atribuição do grau de Mestre e satisfazer as lacunas de oferta formativa identificadas. Assim, pelas razões anteriormente apontadas e dada a especificidade da área científica de Engenharia de Madeiras, torna-se clara a necessidade de satisfazer dois tipos de públicos-alvo:

  • Licenciados em Engenharia de Madeiras que pretendam reforçar competências ao nível da Engenharia do Produto e de algumas componentes da Gestão Industrial;
  • Licenciados, ou Mestres, em outros domínios de conhecimento afins que pretendam a aquisição de competências específicas naquela área científica.

A existência destes dois tipos de público-alvo tem sido evidenciada pela frequência com que o DEMad tem sido directamente contactado para que, estabeleça planos de formação que permitam aumentar as competências específicas dos Técnicos Superiores de diferentes empresas a operar em setores da fileira da madeira. Naquele conjunto de Técnicos Superiores incluem-se obviamente os diplomados em Engenharia de Madeiras (pelo que se referiu anteriormente, todos eles graduados pela ESTGV) que na sua progressão profissional normal se deparam com necessidades de formação distintas das adquiridas no curso de Licenciatura, este conferindo essencialmente competências na área da engenharia do processo.

Desta forma, o Curso foi desenhado tendo em vista a consecução de dois tipos de objetivos fundamentais:

  1. Compatibilizar as especificidades dos dois públicos-alvo referidos;
  2. “Alinhar” o ensino da Engenharia de Madeiras, ao nível de 2º Ciclo, com cursos similares existentes em outros países e com as propostas estratégicas dos especialistas do setor no Espaço Europeu.

Concretamente, este segundo objetivo visou a integração de propostas diferenciadas, com origens distintas, como as apresentadas pelo CIBois (Confederação Europeia das Indústrias da Madeira) no documento “ROADMAP 2010”, o plano de desenvolvimento estratégico apresentado pela AIMMP (Associação das Indústrias da Madeira e do Mobiliário de Portugal), principal associação empresarial do setor, e ainda os planos de cursos análogos existentes quer no espaço europeu (em particular o mestrado Germano-Suíço) quer nos EUA.

O plano curricular do curso prevê uma componente letiva de 14 unidades curriculares distribuídas por três semestres letivos e uma componente de Projeto que decorrerá em parte significativa do terceiro semestre prolongando-se pelo quarto semestre.
De forma a tentar compatibilizar as necessidades de formação dos ativos (quadros superiores de indústrias dos diversos setores da fileira da madeira) com as atividades profissionais, não só a segunda componente (projeto), que consiste no desenvolvimento de um trabalho de I&DT ou de Projeto, será preferencialmente desenvolvida em colaboração com entidades empresariais de setores da fileira da madeira e orientada para a resolução de problemas/desafios específicos e perfeitamente definidos, como a componente letiva decorrerá preferencialmente em regime pós-laboral (após as 18 horas e ao sábado).

(1) Em Portugal, o Cluster florestal é responsável por 14% do PIB industrial, 5,3% do VAB total da economia nacional, 12% do total das exportações e 9% do emprego industrial. (Fonte: DGRF, MTSS, INE, AIMMP 2007).

Acesso e ingresso

Ser titular do grau de Licenciado ou de Mestre (ou equivalentes legais) em Engenharia de Madeiras, ou em áreas técnico-científicas com relevância para o perfil do Mestre em Engenharia de Madeiras (Engenharia Mecânica, Engenharia Florestal, Engenharia Civil, Gestão, …). Serão também aceites candidatos detentores do grau de Bacharel nas diferentes áreas desde que possuidores de currículo profissional relevante.

Saídas Profissionais

Quadro superior para as Indústrias Transformadoras e para as Empresas de Serviços da fileira da Madeira, em especial as que exercem atividades de produção e/ou comercialização nas sub-fileiras:

  • Mobiliário
  • Carpintaria
  • 1ª Transformação
  • Componentes
  • Derivados de Madeira
  • Mobiliário de Cozinha

Plano curricular

1º ANO   
1º SemestreECTS2º SemestreECTS
Ciências de Engenharia I6.5 Ciências Sociais e Humanas II6
Ciências Sociais e Humanas I6Construir com Madeira II5.5
Construir com Madeira I5Gestão Industrial II7
Gestão Industrial I6.5Tecnologias da Madeira II5.5
Tecnologias da Madeira I6Viver com Madeira6
Total30Total30
2º ANO
1º SemestreECTS2º SemestreECTS
Ciências de Engenharia II5Tese/Projeto Industrial30
Construir com Madeira III5
I&D e Transferência de Tecnologia2.5
Tecnologias da Madeira III5.5
Tese/Projeto Industrial12
Total30Total30

Áreas científicas

ÁreasECTS
Ciências de Engenharia20
Ciências Sociais e Humanas12
Design de Mobiliário6
Engenharia de Madeiras21.5
Gestão Industrial13.5
Material Madeira5
Projeto42
Total120

Outras informações

Conforme a estipulado no artigo 18º do Decreto-Lei de 74/2006 no ensino politécnico, o ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre deve assegurar, predominantemente, a aquisição pelo estudante de uma especialização de natureza profissional.
O presente curso de Mestrado em Engenharia de Madeiras propõe-se aumentar as competências de nível superior, especialmente nas seguintes áreas:

  • Material madeira
  • Concepção e optimização de produtos/sistemas produtivos
  • Marketing/internacionalização
  • Inovação e desenvolvimento