Valorização material de resíduos

As boas práticas de gestão de resíduos impõem a redução da sua produção, a reutilização, a reciclagem e a sua valorização material e energética. Resíduos da floresta, agricultura (p.e. a vitivinicultura), pecuária (p.e. avicultura), resíduos de elevada componente orgânica têm sido sido a área de trabalho no DAmb. Há ainda entidades de gestão de resíduos urbanos e industriais que carecem de uma resposta atempada às suas necessidades de gestão de resíduos e o Departamento de Ambiente tem estado na linha da frente.

A valorização de resíduos está associada a benefícios económicos e ambientais claros, como aqueles que estão associados aos resíduos florestais, permitindo amortizar os custos da limpeza da floresta, vital em termos da prevenção de incêndios florestais, ou, efetivamente, gerar produtos de valor acrescentado.

 

Áreas de investigação

  • Potencial da utilização do engaço da uva para a produção de biocompósitos (aglomerados de fibras e aglomerados de partículas) e biocombustíveis (produção de pellets).
  • Valorização de resíduos na produção de ecomateriais para construção civil.
  • Estudo do potencial de utilização de resíduos florestais no sentido de obter produtos com característicos antioxidantes.
  • Produção de espumas a partir de resíduos florestais.
  • recuperação de fluxos valorizáveis como o composto, materiais recicláveis e fração combustível derivada dos resíduos (CDRs) de resíduos sólidos urbanos.
  • Estudos de viabilizade de compostagem de residuos.
  • Plano de gestão de lamas (PGL) de estações de tratamento de águas residuais.
English EN Portuguese PT Spanish ES